sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Espetáculo BRUTAFlor por Pablo Dantas/BRUTAFlor no Espaço O Poste!

Pablo Dantas: “Não sou crítico, sou crônico!”

12969181_989062681130635_1808013945_nAssisti ontem (09/04) ao espetáculo Bruta Flor e fiquei surpreso, mais uma vez, com a coragem dos artistas dessa cidade. Lembro de ter passado, na noite anterior, na calçada do Silogeu e já encontrar César Leão – diretor do espetáculo – com os cabos de aço nas costas. Ora, o trabalho já havia começado! Não temos Teatro (prédio, edifício) em Vitória, então, temos que nos desdobrar por dentro de auditórios e outros espaços alternativos.     Seria a primeira grande barreira física para produção de espetáculo de caixa.
12980424_989062671130636_905105492_nComo sempre – a Cia Experimental de Teatro – nos ofereceu um espetáculo bem cuidado. Iluminação bem definida, elenco afinado, dramaturgia madura… poderia eu ficar aqui manobrando palavras técnicas para elogiar a obra, mas, prefiro revelar meus sentimentos. O espetáculo me colocou de novo no terreiro, mesmo se passando aqui na Zona da Mata, me transportei para o meu Sertão do Pajeú. A poesia não tem limite geográfico. Lembrei da minha avó, do cheiro das coisas, do pé da Serra Talhada. Lembrei dessa coisa “besta” que é o amor e a saudade.
A ator Raphael Gustavo e a atriz Cecília Lopes estavam lindos em cena. Parecem que já se conhecem bem na vida e na arte. Já assisti muitos espetáculos, do Sul ao Norte, e sempre fico rememorando aquelas cenas marcantes. Não vou esquecer nunca, portanto, o canto desafinado de Flor numa tentativa frustrada de encantar Neco, nem, tampouco, das palavras simples de Neco sobre amor, saudade e despedidas. O final do espetáculo é bem delicado: o ator se equilibrou num fio de cabelo e, por um segundo, transitou entre as máscaras do choro e do riso.
12957111_989062674463969_979177765_nO público reagiu bem. Casa cheia. É muito bom receber gente em casa. Penso sempre na felicidade que é essa celebração do teatro junto ao povo. Pois bem, é por ai… Fiquei contente. Vitória de Santo Antão tem uma boa produção. Temos bons artistas! Ficarei mais contente ainda quando ver todos os grupos, coletivos e movimentos de Vitória na mesma luta. Na mesma luta? É. Por que lutar diferente, quando o sofrimento é o mesmo?
Meu abraço fraterno em todos da Cia Experimental de Teatro. Evoé!
Fotografia: Lays Freitas
Espetáculo: Bruta Flor
Grupo: Cia Experimental de Teatro
Texto e Direção: César Leão
Elenco: Cecília Lopes e Raphael Gustavo
Direção Musical: Ilhantina Islandtine
Cenografia: Fabiano Falcão e César Leão
Iluminação: César Leão
Figurinos: Raphael Gustavo
Maquiagem: Cecília Lopes
Cartaz: Ian de Andrade

Nenhum comentário: