sábado, 6 de novembro de 2010

É hoje! Escola de Teatro Fiandeiros e O Poste:um novo relacionamento surge!

Eba! Estamos felizes com o convite da Escola de Teatro Fiandeiros! Realizaremos uma oficina de um mês no espaço do Grupo Fiandeiros de Teatro com alunos da escola e simpatizantes do universo teatral.Vamos lá!

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

"O Cordel do Amor Sem Fim" termina mais uma brilhante e vitoriosa temporada!

O espetáculo "Cordel do Amor Sem Fim" terminou a sua temporada no Teatro Joaquim Cardozo no último sábado. Casa lotada e uma energia pulsante e verdadeira emanava naquele espaço, templo de glórias e histórias concernentes ao teatro pernambucano e seus artístas.
Terminamos felizes com a sensação de dever cumprido: O espetáculo não pode parar! E não pode mesmo! Quer dizer, não deve!Pois fizemos a nossa função:divulgar arte para o povo e com o povo!
Para tanto, promovemos debates,escutamos sugestões,ganhamos o espaço, a divulgação foi tomando corpo, o falatório ia circulando, a exposição de fotos foi digna (obrigada Ariela!), convidamos artistas para estudos dirigidos, exercitamos novas técnicas, organizamos formação continuada do elenco e recebemos o apoio total da coordenação do espaço (obrigada Verônika e a toda equipe do Joaquim!). Foi maravilhoso! Queremos agradecer também ao nosso querido diretor e produtor o senhor Samuel Santos que com a sua batuta orquestrou com maestria nossos corpos e espíritos nessa caminhada.
A nossa equipe de iluminadores:Débora,Igor,Ingrid e "Fita" que colaboraram com a nossa criação luminosa!
As famílias Aquino e Galvão pelo apoio concedido irrestritamente.
Ao apoio dos nossos queridos Marcos,Thiago,Yana e Camila pelo apreço depositado.
A nossa querida Ariela (Ari) fotógrafa de mão cheia!
Aos adoráveis Gustavo e Amaro nossos apoiadores da bilheteria.
A Chico Domingues nosso grande amigo e a todos e todas que participaram brilhantemente dessa caminhada!

Evoé!

Mais uma postagem sobre a presença o "Cordel do Amor Sem Fim" no Palco Giratório Pb.

Cordel do amor sem fim' será encenado na Aldeia Sesc dia 21
Publicado por Lindjane Pereira no site Paraiba.com.br em 13/10/2010 | 11h32 Atualizada em ( 13/10/2010 | 11h33 )
Da asessoria
“Carminha ama José, que ama Tereza, que ama Antônio...” Como no poema Quadrilha, de Carlos Drummond de Andrade, os personagens de Cordel do amor sem fim estão arriscados a não encontrar a felicidade, tamanhos são os desencontros que os rodeiam. Esse é o mote da peça teatral a ser apresentada às 21h30, dia 21 de outubro, na Área de Lazer do SESC Centro João Pessoa, como uma das atrações nacionais da Aldeia Sesc 2010.

Cordel do Amor Sem Fim é encenado pelo grupo O Poste: soluções luminosas e iluminarias, sob direção de Samuel Santos e compondo o elenco Agrinez Melo (Carminha), Nana Sodré (Madalena e Antônio), e Thomaz Aquino (José). Para a entrada no evento solicita-se a doação de um brinquedo novo ou usado (em bom estado) para ser destinado à Campanha Natal Solidário 2010 promovida pelos alunos do curso de Relações Públicas da UFPB em parceria com o Banco de Alimentos do Sesc.

Cordel do amor sem fim é uma obra da escritora baiana, Cláudia Barral, inspirada nos relatos que seu pai fazia sobre a cidade de Carinhanha. Embora o título possa remeter ao gênero cordel como praticado no Brasil, ou seja, rimado e metrificado, Cláudia se baseou na tradição ibérica de dependurar em cordas livros, romances e peças de teatro para serem vendidas. O texto bebe na fonte do contemporâneo e transcende o cotidiano do tema proposto e o coloca em outra perspectiva: a da universalidade da relação e do sentimento no seu estado mais primitivo.

Espetáculo

A peça foi premiada em terceiro lugar pelo prêmio Funarte de Dramaturgia, em 2003. E se passa na cidade de Carinhanha, Sertão baiano, às margens do Rio São Francisco, que de certa maneira é um dos personagens da trama. Na cidade vive três irmãs – a velha Madalena, a misteriosa Carminha e a jovem e sonhadora Tereza –, por quem José é apaixonado.
Drummondianamente, Carminha ama José, que ama Tereza que ama Antônio, um viajante por quem ela se apaixona no porto da cidade, no dia em que um almoço marcaria o pedido de casamento feito por José. O moço promete a ela que irá voltar para buscá-la. Toda a trama então se desenrola em função desse tempo de espera e de esperanças. Tereza é tocada por um desejo sem medida, que a faz viver todos os dias em função dele. A certa altura, ela afirma: “o tempo é coisa que não tem medida”. Contada de uma forma poética e com um final surpreendente, tudo de forma poética.

Grupo
A proposta em dar luz do teatro a dança nasceu em 2004. Com trabalhos premiados no Estado e fora dele. No grupo existe a formação de suas atrizes em licenciatura de artes cênicas pela UFPE, com participação ativa em grupos de pesquisa e investigação teatral.
A Área de lazer do SESC Centro fica na Rua Desembargador Souto Maior, 281, região central da Capital.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

O Poste representou PE na edição do PALCO GIRATÓRIO na PB

Uma experiência maravilhosa e muita festiva! Leiam o que a imprensa local publicou:

A encenação do cordel é atração no Palco Giratório

“Carminha ama José, que ama Tereza, que ama Antônio...” Como no poema Quadrilha, de Carlos Drummond de Andrade, os personagens de Cordel do amor sem fim estão arriscados a não encontrar a felicidade, tamanhos são os desencontros que os rodeiam. Esse é o mote da peça teatral a ser apresentada às 21h30 desta quarta-feira (20), na Área de Lazer do SESC Centro, dentro do projeto Palco Giratório, encenado pelo grupo O poste: soluções luminosas e iluminarias, sob direção de Samuel Santos e compondo o elenco Agrinez Melo (Carminha), Nana Sodré (Madalena e Antônio), e Thomaz Aquino (José). A entrada é franca, tanto para comerciários quanto o público em geral.
Cordel do amor sem fim é uma obra da escritora baiana, Cláudia Barral, inspirada nos relatos que seu pai fazia sobre a cidade de Carinhanha. Embora o título possa remeter ao gênero cordel como praticado no Brasil, ou seja, rimado e metrificado, Cláudia se baseou na tradição ibérica de dependurar em cordas livros, romances e peças de teatro para serem vendidas. O texto bebe na fonte do contemporâneo e transcende o cotidiano do tema proposto e o coloca em outra perspectiva: a da universalidade da relação e do sentimento no seu estado mais primitivo.
Espetáculo
A peça foi premiada em terceiro lugar pelo prêmio Funarte de Dramaturgia, em 2003. E se passa na cidade de Carinhanha, Sertão baiano, às margens do Rio São Francisco, que de certa maneira é um dos personagens da trama. Na cidade vivem três irmãs – a velha Madalena, a misteriosa Carminha e a jovem e sonhadora Tereza –, por quem José é apaixonado. Drummondianamente, Carminha ama José, que ama Tereza que ama Antônio, um viajante por quem ela se apaixona no porto da cidade, no dia em que um almoço marcaria o pedido de casamento feito por José. O moço promete a ela que irá voltar para buscá-la. Toda a trama então se desenrola em função desse tempo de espera e de esperanças. Tereza é tocada por um desejo sem medida, que a faz viver todos os dias em função dele. A certa altura, ela afirma: “o tempo é coisa que não tem medida”. Contada de uma forma poética e com um final surpreendente, tudo de forma poética.
Grupo
A proposta em dar luz do teatro a dança nasceu em 2004. Com trabalhos premiados no Estado e fora dele. No grupo existe a formação de suas atrizes em licenciatura de artes cênicas pela UFPE, com participação ativa em grupos de pesquisa e investigação teatral.
A Área de lazer do SESC Centro fica na Rua Desembargador Souto Maior, 281, região central da Capital.

Oficina de Iluminação Cênica na Escola SESC de Teatro - Unidade Piedade

Em breve colocaremos mais informações sobre os nossos encontros com os criativos alunos da Escola SESC de teatro. Aguardem!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Finalmente quem somos!

Bom queridos segunda é dia de alimentar o Blog, por isso coloco aqui nossas fotos (eu e Agri) para que possamos alegra-los com nossos sorrisos felizes e cheios de afeto! Pois somos assim mesmo, rimos muito e tentamos ver todas as possibilidades apresentadas pela vida com muitas gargalhadas, mas isso em hipótese alguma significa ( no nosso caso!) superficialidade ou dificuldade de adentrar nas esferas mais obscuras da realidade, não é nada disso! O negócio é o seguinte: vivemos de arte e sabemos o quão é doloroso e delicioso o nosso ofício e as reflexões a cerca da praxis nos acompanha sempre! Beijos a todos e uma boa semana! Ah! E tem uma coisa: quem disse que seria fácil?!

Eu sou Naná!

 
Posted by Picasa

Eu sou Agri!

 
Posted by Picasa

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

UM NAMORO COM A ESCOLA SESC DE TEATRO

NÓS DO O POSTE MAIS UMA VEZ REALIZAREMOS AS OFICINAS DE ILUMINAÇÃO DA ESCOLA SESC- UNIDADE PIEDADE NOS DIAS 18/10,19/10 E 23/11. A NOSSA QUERIDA ANA JÚLIA ESTÁ EM CONTATO E LOGO, LOGO TRAREMOS NOVIDADES!

quinta-feira, 4 de março de 2010

O Poste em "Cordel do Amor Sem Fim" direção SAMUEL SANTOS

Cordel do Amor Sem Fim se passa na cidade de Carinhanha, Sertão baiano às margens do Rio São Francisco,que de certa maneira é um dos personagens da trama. Na cidade vivem três irmãs: a velha Madalena, a misteriosa Carminha e a jovem sonhadora Tereza, por quem José é apaixonado.Drummondianamente, Carminha ama José, que ama Tereza, que ama Antônio um viajante por quem ela se apaixona no porto da cidade, no dia em que um almoço marcaria o pedido de casamento feito por José. É a partir deste ponto que fica evidente como Carminha  renova suas esperanças por José; e que Madalena, a mais velha, procura como pode evitar que Tereza viva de uma vã promessa,a espera no porto pela volta de Antônio. Madalena via no casamento da irmã a possibilidade de concretização de seus próprios sonhos não realizados.


O desejo de montar o texto da baiana Claudia Barral é antigo das postianas Naná Sodré e Agrinez Melo, que na época aspiravam a oportunidade de colocar a "porção Atriz" pra trabalhar! Queriam realizar um espetáculo e estavam a procura do texto, eis que... Samuel Santos apresenta a elas "Cordel do Amor Sem Fim" de Cláudia Barral, então o possível se deu... se envolveram pelo texto e decidiram fazer uma direção coletiva juntamente com os atores Chico Domingues e Rosinha Galvão. Mas... águas passaram e Rosinha Galvão e Chico Domingues não puderam continuar enquanto atores, e sim grandes parceiros do projeto! antes mesmo dessa mudança, outra decisão foi tomada: não mais uma direção coletiva, e sim um convite a Samuel Santos para dirigir o espetáculo. Para interpretar José, o competente Thomas Aquino foi convidado, e para Tereza, a postiana Monalize.


           

O Poste em "Cordel do Amor Sem Fim"

O grupo O Poste Soluções Luminosas


O grupo O Poste Soluções Luminosas surgiu no ano de 2004 como grupo de Iluminação Cênica e durante a sua trajetória assessorou tecnicamente companhias e grupos, desenvolveu atividades em vários espetáculos e ministrou cursos em várias instituições.
Prêmio de Melhor Iluminação pelo espetáculo "O Amor do Galo Pela Galinha D'água"


No ano de 2009 com a montagem do espetáculo Cordel do Amor sem Fim, de Claudia Barral, o grupo ampliou seu campo de atuação, tornou-se também um grupo de produção artística onde as pesquisas teatrais calcadas no resgate antropológico aliado ao teatro físico passaram a nortear as ações dos seus componentes.
Espetáculo "Cordel do Amor Sem Fim". Em cena Agrinez Melo,Suelayne Sue, Naná Sodré e Madson de Paula.

Já com esse perfil o grupo vem há cinco anos, em uma atividade de pesquisa na matriz africana e essa como base   de uma ancestralidade corporal e vocal pelo viés artístico teatral, traçando um paralelo entre as incorporações dos Orixás nos terreiros de Candomblé e Umbanda, procurando aproximar essa investigação aos processos de Michael Chekhov, Vsevolod Meyerhold, Eugenio Barba e Jerzy Grotowski.  A Dança dos Ventos, a Antropologia Teatral, a Biomecânica, a irradiação, as entidades xamânicas e o imaginário dos Orixás fazem parte do   processo na construção e reconstrução dos nossos trabalhos.
Oficina de Biomecânica. (Naná Sodré, Agrinez Melo e Yana Luz) 

Com o  espetáculo “Cordel do Amor Sem Fim” o grupo      cumpriu  temporadas no Recife  e participou   dos   principais festivais internacionais e nacionais  de teatro do Brasil como: FILO (PR), Brasília Cena Contemporânea (DF), POA (RS), Festival BNB de Artes Cênicas (CE), Bienal Nacional Potiguar de Teatro (RN), Janeiro de Grandes Espetáculos (PE), II Festival Sergipano de Teatro (SE), Festival do Riso (PB), Palco Giratório (PB e PE) e FITA (RJ).
Premiação Janeiro de Grandes Espetáculos 


É detentor de 16 indicações e 08 prêmios dentre eles melhor atriz, melhor atriz coadjuvante, melhor ator, melhor sonoplastia, melhor direção e melhor cenário. E em 2011 o grupo foi contemplado com 02 prêmios nacionais pela FUNARTE são eles: Prêmio de Teatro Myriam Muniz 2012 e Prêmio Procultura de Estímulo ao Teatro 2010 ambos possibilitaram a circulação do espetáculo Cordel do Amor Sem Fim por 05 Estados e 20 cidades banhadas pelo rio São Francisco.  Além das apresentações nessas comunidades      o grupo realizou oficinas de improvisação e interpretação teatral para jovens e adultos.
Cartaz circulação FUNARTE
Oficina Compondo a Cena - Salvador (BA)

 Em março de 2012 o grupo foi selecionado para o FLAAC - Festival Latino Americano e Africano de Arte e Cultura em Brasília (DF) através do solo do diretor Samuel Santos, "Navio Negreiro - Pelas Perspectivas dos Orixás" que também participou com o solo em Pernambuco e Sergipe.
Samuel Santos no monólogo "Navio Negreiro pela Perspectiva dos Orixás" 


No ano de 2014 o grupo faz o solo “O Desconhecido” da obra de Nelson Rodrigues com interpretação de Samuel Santos e direção de Agrinez Melo e Naná Sodré dentro do projeto Espaço Fiandeiros - Dramaturgia Pernambucana.  Também em 2014 o grupo estreia com a Lei de incentivo as Artes Cênicas de Pernambuco o espetáculo “Anjo Negro” de Nelson Rodrigues, participa do  20 Festival Internacional Janeiro de Grandes Espetáculos  e as atrizes Naná Sodré e Agrinez Melo ganham juntas  os prêmios de melhores atrizes coadjuvantes de 2014.
Cartão postal "Anjo Negro"

Após a temporada do espetáculo “Anjo Negro” o grupo inaugura o seu espaço cultural na capital pernambucana O Espaço O Poste.
Espaço O Poste Soluções Luminosas

O grupo em novembro de 2014 cumpriu a temporada do espetáculo “Ombela” texto escrito pelo angolano Manuel Ruy e ganhador do Prêmio Myriam Muniz 2012 na categoria Montagem de Espetáculos. O espetáculo participou do 21 Festival Janeiro de Grandes Espetáculos 2015 e foi ganhador do Prêmio Especial pela Pesquisa em Matriz Africana.
Cartaz espetáculo "Ombela"

Na preparação de sua formação continuada em prol da sua pesquisa corporal o grupo participou na pessoa do seu diretor Samuel do encontro “A Arte Secreta do Ator 2012 – Brasil” com Eugênio Barba e Julia Varley em DF e todo o grupo vivenciou a oficina "Dentro da Maneira do Ator"- com Lina Della Rocca(Teatro Ridotto-Itália) também em 2012; Em 2013 - Oficina “A Ponte dos Ventos com Iben Nagel Rasmussen e Tatiana Cardoso”, Oficina de Biomecânica com o prof. Doutor Érico José  e na  pessoa da atriz Naná Sodré  participou do VI Masters-in-Residence com EUGENIO BARBA e JULIA VARLEY-EDIÇÃO COMEMORATIVA -  O Diálogo das Técnicas ainda em 2013.E nessa residência   a partir do material apresentado pela atriz Naná Sodré foi construído o solo intitulado  “A Receita” que cumpriu temporada no Espaço O Poste em outubro de 2014.  O mesmo solo já participou do I Festival de Teatro do Sertão do Pajeú e do  21 Festival Janeiro de Grandes Espetáculos 2015.
Cartaz espetáculo " A Receita"

Ainda no tópico formação salientamos a participação da  atriz Agrinez Melo na VII Masters-in-Residence com EUGÊNIO BARBA e JULIA VARLEY em 2014/DF.
O grupo também vivenciou intercambio através do projeto Palco Giratório 2015 com o Grupo Ninho de Teatro(CE), Leitura dramatizada do texto de Hermilo Borba Filho “O GENERAL ESTÁ PINTANDO” no Projeto Semana Hermilo 2015,manutenção do  espetáculo “ Cordel do Amor Sem Fim” e nesse momento realiza  circulação pelo estado de PE    
  Os integrantes do grupo O Poste Soluções Luminosas são Naná Sodré, Agrinez Melo e Samuel Santos.